236 650 600

Redes Sociais

Património

 

Alvaiázere é natureza, é povo vivo e as suas vivências. 
Em terras alvaiazerenses é evidente a riqueza do património paisagístico (em que a fauna e a flora se manifestam em espécies múltiplas) e o carácter extraordinário do património geológico, arqueológico, arquitectónico e etnográfico, fortemente marcados pela geomorfologia da região.
Então, o concelho de Alvaiázere, inserido nas Terras de Sicó, identifica-se como espaço em que o verde e as vidas se abraçam a determinar a especificidade cultural do povo que habita este território.


 

algar serra 2010   algar serra 2010 2

Do ponto de vista geológico Alvaiázere é um concelho com características calcárias onde é possível encontrar, dispersas pelo território, inúmeras formações cársicas (por exemplo grutas, algares e lapas) que, ao longo dos tempos, foram objecto de diversas ocupações que vão desde a Pré-história até meados do século passado.

 


 

Património Natural

No que concerne ao património natural de Alvaiázere, a biodiversidade é evidente à medida que assistimos ao desdobrar contínuo e ininterrupto da fauna e da flora.

orquidea 2010 2   alecrim 2010

Flora
As várzeas bem irrigadas, a contrastar com as formações calcárias que emergem no território, favorecem uma paisagem diversificada em que são evidentes espécies como o pinheiro, o carvalho-cerquinho, a azinheira, o sobreiro, as oliveiras milenares e as orquídeas selvagens.
Os cheiros marcam também o território através da presença de uma grande diversidade de ervas aromáticas como a alfazema, o alecrim, a erva de Santa Maria e o tomilho, entre outras.

Fauna
A mancha verdejante que cobre as terras alvaiazerenses convida à fixação ou à passagem de várias espécies animais por este território, nomeadamente o tordo, a perdiz vermelha, o coelho, a lebre, o javali, a raposa e uma importante colónia de morcegos-de-peluche, entre outras.

javali 2010 2

 


 

O concelho de Alvaiázere, pelas suas características geomorfológicas, convidou diversos povos a fixarem-se no seu território desde tempos ancestrais pelo que guarda em si memórias e vestígios de ocupações diversas e sucessivas que vão desde o Paleolítico até à actualidade. 
De entre os múltiplos sítios arqueológicos, destaque para o complexo Megalítico do Ramalhal, para o povoado da Idade do Bronze na Serra de Alvaiázere e para a Villa Romana da Rominha. 
A vida rural determina a existência de um conjunto significativo de estruturas de arqueologia industrial que testemunham a acção deste povo, por exemplo lagares de azeite, azenhas, moinhos de vento e fornos da cal.

antas rego murta 2010   antas rego murta 2010 2

 Antas do Ramalhal - A Anta 1, 2 e 3 do Rego da Murta ficam situadas a cerca de 500 metros da aldeia do Ramalhal – S. Pedro do Rego da Murta, numa planície povoada por eucaliptos na margem direita da Ribeira do Rego da Murta. Além dos referidos monumentos, existem outros dispersos por toda a área envolvente que, pelas suas características, evidenciam uma paisagem com intensas referências culturais que engrandecem o Concelho de Alvaiázere no panorama arqueológico Nacional e Internacional.

serra alvaiazere 2010    serra alvaiazere 2010 7

Povoado da Serra de Alvaiázere – Localizado na freguesia e Concelho de Alvaiázere, a 600 metros de altitude, este Sítio arqueológico é caracterizado por um povoado fortificado de grandes dimensões com duas cinturas de muralhas parcialmente derrubadas: uma exterior e outra interior, aparentemente circular, com cerca de 100 metros de diâmetro, ambas visíveis por fotografia área.

Rominha – Localizada numa planície de grande fertilidade e clima agradável, esta zona, conjuntamente com a Vila Nova, Casal Novo e Farroeira escondem no seu subsolo histórias de um passado que o tempo procurou esquecer. 

serra alvaiazere 2010 4

 


 

capela covoes 2010 2    casa amarela 2010

A arquitectura local dá conta da história e vivências concelhias através dos inúmeros exemplos de arquitectura popular, dos solares e das quintas senhoriais que se encontram espraiados pelas sete freguesias do Concelho. 
As alminhas, os pelourinhos, os cruzeiros, as capelas e as várias igrejas matrizes, por sua vez, dão forma aos espaços em que desde tempos ancestrais se fazem circular lendas e tradições que são reflexo do espírito religioso deste povo.

 


 

A especificidade que anima a alma alvaiazerense é fortemente marcada pela ligação deste povo com a terra, sendo que o concelho se caracteriza por uma forte ruralidade. Assim, são várias as actividades que ao longo dos tempos enriqueceram a nossa identidade, como sendo as sementeiras, a apanha da azeitona, as vindimas, as descamisadas, a matança do porco, a pastorícia e a confecção de queijo, entre outras.
A história do nosso povo é determinada também por outras tradições culturais que ainda hoje persistem no nosso quotidiano: o cantar dos reis, o cantar às almas, o desfile de carnaval, o dia da espiga, o dia de todos os santos (“do bolinho”), as festas religiosas, as feiras e romarias, os festivais, entre outros.
Os paladares são também marcados pelo sabor da terra que se encontra na multiplicidade de produtos endógenos que marcam a forte tradição gastronómica local e de que se destacam as características petingas, a sopa dos pobres, os enchidos, o serrabulho, o queijo, as migas de chícharo, a carne de alguidar, a carne de rebolão, a chanfana, o cabrito assado, entre outros. Todos estes sabores surgem entretecidos com as tradições e ofícios tradicionais no Festival Gastronómico do Chícharo que tem lugar no primeiro fim-de-semana de Outubro.

 

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência online!